novembro 26, 2005

 

 GRAVIDA?? E AGORA??


  NÓS AJUDAMOS A ENCONTRAR A MELHOR SOLUÇÃO

PARA UM AGRAVIDEZ INDESEJADA.

O aborto em é proibido em gande parte do globo obrigando as grávidas a recorrer a pessoas sem a minima hegiene a clinicas clandestinas podendo assim ter imensos problemas na sua vido futura em muitos casos levando á MORTE da mesma.

Aqui explicamos como evitar esses riscos.

Somos a favor do aborto legal e seguro. Não sendo possível fazê-lo legalmente, o modo mais seguro para a mulher induzir o aborto até às 9 semanas de gravidez é usando um medicamento chamado Misoprostol.
Encontrará nesta página toda a informação sobre o Misoprostol (também conhecido por Cytotec ou Arthrotec ou Misotrol). Explicamos-lhe as precauções a tomar, como funciona o medicamento, qual a dosagem mais eficaz, quais os efeitos e as possíveis complicações, e em que se baseia cientificamente este método.

Nos países em que o aborto é legal, o aborto médico é feito com a pílula abortiva (também conhecida por Mifepriston, Mifegy, Mifeprex). A pílula é usada em combinação com o Misoprostol e tem uma taxa de sucesso acima de 95%. Esta pílula só se encontra disponível nos países onde o aborto é legal, mas o Misoprostol pode ser adquirido nas farmácias na maior parte dos países onde o aborto é ilegal. Usar apenas o Misoprostol para induzir o aborto tem uma taxa de sucesso superior a 80%.

A mulher nunca deve auto-induzir o aborto se viver num país onde pode fazer um aborto legal e seguro. Nesse caso, deve ir ao médico, pois o aborto será realizado de modo mais adequado e seguro por um médico experiente. Divulgamos esta informação porque, nos países onde o aborto é ilegal, as mulheres tentam muitas vezes abortar usando métodos perigosos.

Algumas mulheres tentam mesmo abortar introduzindo objectos sujos ou pontiagudos no útero, ou agredindo-se com socos na barriga. Isto é muito perigoso e nunca deve ser feito, pois existem sérios riscos de danos internos, infecções, fortes hemorragias, e a mulher pode mesmo morrer.

Para muitas mulheres pôr termo a uma gravidez é uma decisão difícil. Não existindo profissionais de saúde com quem as mulheres possam falar acerca deste método e de outras alternativas, aconselhamos a que converse sobre o assunto com um familiar ou amigo. Em especial, aconselhamos às mais jovens que falem com os pais sobre a sua decisão e todo o procedimento.

Se houver um médico disposto a ajudá-la, PARE DE LER. Vá ao médico!

As mulheres que estão 100% seguras de que desejam abortar e a quem, de facto, não resta outra opção, devem imprimir e analisar com atenção as instruções que se seguem. É melhor discuti-las com um(a) amigo(a). A mulher nunca deve tomar Misoprostol sozinha.

Para colocar alguma questão acerca deste método ou partilhar alguma experiência após ter lido a informação abaixo, envie um e-mail para:

misoprostol_ajuda@hotmail.com

Como funciona um aborto com o Misoprostol?

A mulher nunca deve auto-induzir um aborto se estiver grávida há mais de 9 semanas.
O Misoprostol causa contracções no útero. Como consequência, o útero expele o produto da gravidez. A mulher pode ter dores fortes, hemorragia mais intensa do que na menstruação normal, náuseas, vómitos e diarreia. A mulher corre o risco de hemorragia muito forte; se assim acontecer, tem de ser assistida por um médico.
O aborto com Misoprostol resulta em mais de 80% dos casos.
O Misoprostol encontra-se à venda nas farmácias de todos os países. Também pode ser adquirido sob a designação de Cytotec ou Arthrotec.

A experiência do aborto com Misoprostol pode ser comparada à do aborto espontâneo. O aborto espontâneo dá-se em 10% das gravidezes.

Os riscos de um aborto induzido pelo Misoprostol são semelhantes aos de um aborto espontâneo.

No caso de complicações, o tratamento é igual ao do aborto espontâneo. Se surgir algum problema, a mulher pode sempre ir ao hospital ou recorrer a um médico. O médico procederá como se tivesse havido um aborto espontâneo.

Disponibilizamos de seguida alguma informação importante e que deve ser lida por todas as mulheres que desejam induzir o aborto com o Misoprostol.



PRECAUÇÕES:

O Misoprostol nunca deve ser usado sem aconselhamento médico num país onde o aborto é legal.

Aconselhamos vivamente a recorrer a um médico ou uma clínica. É mais seguro.

A mulher deve certificar-se de que está grávida.

Basta fazer um teste de gravidez ou uma ecografia.

O Misoprostol só deve ser usado quando a mulher está 100% segura de que quer pôr termo à gravidez.

A mulher deve tentar fazer uma ecografia antes de usar o Misoprostol.

A ecografia permite ver se a gravidez ocorre no útero e saber de quantos meses a mulher está grávida.

O Misoprostol nunca deve ser usado após 9 semanas de gravidez.

Uma gravidez de nove semanas significa que passaram 63 dias após o primeiro dia da última menstruação. Se a mulher achar que tem uma gravidez superior a 9 semanas, ou se a ecografia assim o confirmar, não aconselhamos o uso do Misoprostol a não ser sob supervisão médica.

O medicamento continua a ser eficaz, mas o risco de hemorragia intensa, dores fortes e complicações aumenta proporcionalmente ao tempo de gestação.

Uma mulher nunca deve estar sozinha ao induzir o aborto.

É importante que a mulher esteja acompanhada ao induzir o aborto. Pode ser o companheiro, um(a) amigo(a), ou familiar, mas a mulher deve estar com alguém que tenha conhecimento do aborto e que possa ajudar no caso de haver complicações. Quando a hemorragia começa, é necessário que a mulher esteja em contacto com alguém que possa ajudar no caso de surgirem complicações.

O Misoprostol só pode ser usado sem aconselhamento médico se a mulher não sofrer de qualquer doença grave.

Não há problema com a maior parte das doenças. No entanto, doenças graves como, por exemplo, anemia severa, podem causar complicações devido à forte hemorragia que o aborto implica. Algumas doenças podem por vezes justificar um aborto legal, mesmo nos países com leis restritivas.

Não tome drogas ou álcool durante o tratamento!!!

O Misoprostol não deve ser usado se existir a hipótese de gravidez ectópica (extra-uterina).

A gravidez ectópica (ou extra-uterina) não ocorre no útero, mas na trompa de Falópio. Este é um pequeno órgão situado entre o útero e o ovário. Uma gravidez ectópica pode ser detectada através de uma ecografia. Nesse caso, é necessária a intervenção de um ginecologista para proteger a saúde da mulher. Se a mulher não for tratada, corre o risco de forte hemorragia interna devido à ruptura da trompa de Falópio.
Qualquer ginecologista em qualquer país, mesmo nos países onde o aborto é ilegal, trata este tipo de situação. Uma gravidez ectópica não pode ser tratada com Misoprostol.

O Misoprostol nunca deve ser usado nos casos em que a mulher tem inserido um dispositivo intra-uterino (DIU).

O DIU é um contraceptivo, uma pequena espiral de 3 cm inserida pelo médico no útero da mulher para evitar a gravidez. Uma mulher que tem o DIU inserido e está grávida deve fazer uma ecografia, pois o risco de uma gravidez ectópica é maior. Se a gravidez estiver a ocorrer no útero, é necessário que o DIU seja removido antes do aborto.

O Misoprostol só deve ser usado se a mulher estiver a poucas horas de viagem do hospital.

Deste modo, se surgirem complicações, poderá ter rápido acesso a cuidados médicos.

O Misoprostol nunca deve ser usado se a mulher for alérgica ao Misoprostol ou qualquer outra prostaglandina.

Os casos de reacção alérgica são extremamente raros. A mulher saberá com certeza se já usou este tipo de medicamentos e se teve reacção alérgica. Se nunca utilizou o medicamento, também nunca manifestou reacção alérgica, mas não deverá preocupar-se com o uso do Misoprostol

É possível que a tentativa de aborto com o Misoprostol não resulte.

A possibilidade de o aborto resultar com o Misoprostol é apenas de 80 %. O tratamento falha quando o medicamento não causa qualquer hemorragia ou se, apesar de haver hemorragia, a gravidez prossegue. A mulher pode usar de novo o medicamento dentro de alguns dias, mas pode acontecer que não resulte.
No caso de o aborto não ocorrer passados 7 dias da utilização do Misoprostol, e não havendo um médico disposto a ajudar, só resta à mulher viajar para outro país – e fazer um aborto legal – ou levar avante a gravidez.
Existe um ligeiro aumento do risco de a criança nascer com malformações, como deformações nas mãos ou nos pés e problemas no sistema nervoso do feto, se a gravidez continuar após a tentativa de aborto com o medicamento. Alguns médicos poderão considerar que isto justifica um aborto legal.

Qualquer infecção sexualmente transmissível deve ser tratada.

Se existir o risco de uma infecção sexualmente transmissível (IST, também conhecida como DST), como clamídia e gonorreia, consulte um médico e trate adequadamente a infecção. O risco de contrair esta infecção aumenta se tiver ocorrido violação (em muitos países, esta situação justifica o aborto legal, caso a mulher engravide), ou a mulher tenha mantido relações sexuais com um desconhecido.
Ser portador de uma infecção sexualmente transmissível aumenta o risco de inflamação do útero e das trompas de Falópio. Esta inflamação é designada por doença de inflamação pélvica (DIP) ou salpingitis ou adnexitis.



COMO OBTER O MISOPROSTOL?

Na maior parte dos países, o Misoprostol encontra-se à venda nas farmácias. Cytotec e Arthrotec são especialidades farmacêuticas genericamente designadas por Misoprostol. Às vezes consegue-se comprar o medicamento sem receita, outras é pedida receita médica. É menos provável que precise de receita para o Arthrotec.

Misoprostol: designação genérica; medicamento usado para evitar úlceras gástricas.
Cytotec ou Misotrol: designação farmacêutica específica para Misoprostol.
Arthrotec y Oxaprost: contém Misoprostol e um analgésico chamado Diclofenac. Indicado para dores nas articulações, ou artrite. O Arthrotec é geralmente mais caro do que o Cytotec.

Para adquirir estes medicamentos, a mulher pode, por exemplo, dizer que a avó está com uma crise tão forte de artrite reumatóide que nem sequer consegue ir à farmácia e que não tem dinheiro para ir ao médico pedir a receita do medicamento. Se tiver problemas em comprar os medicamentos numa farmácia, tente outra, ou peça a alguém do sexo masculino – um amigo ou o companheiro –, pois este terá com certeza menos problemas. Ou talvez encontre um médico disposto a passar a receita. Normalmente, é mais fácil adquirir o produto numa pequena farmácia local do que nas farmácias das grandes cadeias. O Misoprostol também pode ser encomendado pela internet (ver lista de farmácias online).

Nalguns países, o Cytotec pode ser adquirido no mercado negro (locais onde também se compra marijuana). Tente, porém, certificar-se de que se trata mesmo de Misoprostol, de que não é falso, nem se trata de outro medicamento!

A mulher deve comprar, no mínimo, 12 comprimidos de Misoprostol com 200 mcg. Um comprimido de Cytotec ou Arthrotec deverá conter 200 microgramas de Misoprostol. Veja a dosagem do Misoprostol na embalagem. Normalmente, os comprimidos contêm 200 mcg, mas existem outras dosagens. Se os comprimidos tiverem uma dosagem diferente, faça o cálculo do número de comprimidos suficiente para perfazer o mesmo total de Misoprostol.



COMO USAR O MEDICAMENTO?

Em países onde o aborto é ilegal, pode usar-se apenas o Misoprostol para induzir o aborto. O uso indevido do Misoprostol pode ser prejudicial para a saúde da mulher!!

Para induzir o aborto, a mulher deve introduzir, com os dedos, 4 comprimidos de 200 microgramas (no total de 800 µg) de Misoprostol tão fundo quanto possível na vagina (bem atrás, onde o útero começa). Os comprimidos não funcionam se estiverem à entrada da vagina!!!

Os comprimidos funcionam ainda melhor se forem molhados antes de introduzidos na vagina.

24 horas depois a mulher deve introduzir mais 4 comprimidos de Misoprostol na vagina, tão fundo quanto possível.

Se após a segunda dose de comprimidos, não ocorrer hemorragia, a mulher pode colocar de novo, pela terceira vez, 4 comprimidos de Misoprostol 24 horas depois.

A taxa de sucesso é de 80% - 90%.

Outra possibilidade é colocar os comprimidos debaixo da língua ou no espaço entre a gengiva e a bochecha durante pelo menos meia hora, mas, de preferência, um pouco de mais tempo. No entanto, estudos recentes demonstraram que esta hipótese é menos eficaz do que introduzindo os comprimidos na vagina.

Após a primeira dose de Misoprostol, a mulher deverá sangrar e sentir dores. A hemorragia começa normalmente 4 horas depois da utilização dos comprimidos, mas, por vezes, mais tarde. A hemorragia é muitas vezes o primeiro indício de que o aborto começou. Se o aborto continuar, a hemorragia e as dores tornam-se mais intensas. O fluxo da hemorragia é muitas vezes maior e mais intenso do que na menstruação normal, e acontece expelirem-se coágulos de sangue. Quanto mais avançada a gravidez, mais fortes serão as dores e a hemorragia. No final do aborto, as dores e a hemorragia diminuem. O momento do aborto pode ser identificado com o pico da hemorragia, dores e contracções, que se tornarão mais intensas. Um pequeno saco gestacional, com alguns tecidos em volta, pode ou não ser visível dependendo do tempo de gravidez. Por exemplo, se a mulher estiver grávida de apenas 5 a 6 semanas, o saco gestacional não será visível. Com nove semanas, a mulher poderá provavelmente encontrar o saco no meio do sangue.

Depois de ter usado o Misoprostol e de começar a ter hemorragias, a mulher pode ir ao médico ou ao hospital e dizer que teve um aborto espontâneo (nunca deve dizer que usou o Misoprostol nem que tentou provocar um aborto!!) Provavelmente, o médico fará uma ecografia e depois uma aspiração por vácuo. O tratamento de um «aborto espontâneo em curso» não é ilegal.

Se a mulher não tiver a certeza de que conseguiu abortar após ter utilizado a segunda dose de Misoprostol, pode usar mais 4 comprimidos 24 horas depois. Quando a mulher não tem qualquer hemorragia após a terceira dose, significa que não houve aborto. Pode tentar outra vez uns dias depois ou terá de viajar para um país onde o aborto é legal, ou, ainda, tentar de novo consultar um médico.

Para aliviar as dores, a mulher pode usar analgésicos como o Paracetamol.

Hemorragia pós-aborto

A hemorragia continua ligeiramente durante uma a duas semanas após o aborto, por vezes menos, outras vezes mais. A menstruação volta normalmente passadas quatro a seis semanas.

Confirmação do aborto

Algumas mulheres perdem sangue, mas não têm um aborto. Como tal, é importante que a mulher se certifique de que o aborto realmente ocorreu. Pode demorar duas a três semanas até que o teste de gravidez se revele negativo. Se possível, a mulher deve fazer uma ecografia uma semana após o aborto para ter a certeza de que o útero está vazio.

EFEITOS SECUNDÁRIOS

Os efeitos secundários mais comuns são náuseas, vómitos e diarreia. Pode por vezes ocorrer febre ligeira. Os efeitos são geralmente mais ténues quando o Misoprostol é introduzido na vagina.

QUANDO RECORRER A UM MÉDICO OU IR AO HOSPITAL

Se houver hemorragia intensa

Uma hemorragia intensa é aquela que dura mais de 2-3 horas e absorve mais do que 2-3 pensos higiénicos (para fluxo intenso) por hora. Tonturas ou sensação de desmaio podem significar excesso de perda de sangue, o que é perigoso para a saúde da mulher. Se o fluxo intenso da hemorragia não diminuir depois de 2-3 horas, pode ser sinal de aborto incompleto (vestígios da gravidez ainda no útero), o que necessita de tratamento cirúrgico. Isto pode acontecer algumas horas após o uso do Misoprostol, mas também duas semanas ou mais depois do aborto.

Nesse caso, a mulher tem de procurar ajuda e dirigir-se ao hospital ou médico mais próximo. Se a hemorragia intensa ocorrer apenas algumas horas depois de ter introduzido os comprimidos de Misoprostol na vagina, a mulher deve verificar com os dedos se ainda existem vestígios dos comprimidos e retirá-los! No caso de o médico encontrar vestígios dos comprimidos, ficará a saber que a mulher tentou auto-induzir o aborto. Por vezes, em países onde a prática do aborto é crime, os médicos e enfermeiros denunciam à polícia as mulheres que tentam provocar um aborto. Aconselhamos que, se possível, a mulher consulte um médico em quem confia.

Nos países em que as mulheres podem ser condenadas por praticarem um aborto, não é necessário informarem os profissionais de saúde que tentaram abortar; podem dizer que tiveram um aborto espontâneo. O médico NÃO consegue ver a diferença (a não ser que haja vestígios dos comprimidos na vagina). O tratamento é igual para os dois casos e implica uma curetagem – conhecida como aspiração por vácuo – em que o médico esvazia o útero.
Os médicos têm a obrigação de ajudar em qualquer circunstância.

Se tiver febre

Arrepios, tal como a ligeira subida da temperatura do corpo são efeitos secundários normais do Misoprostol. Contudo, se a mulher tiver febre (> 38 graus Celsius) durante mais de 24 horas, ou se a febre for superior a 39 graus, deve contactar um médico, pois pode haver uma infecção, causada por um aborto incompleto, que precisa de ser tratada (com antibióticos e/ou através de aspiração por vácuo).

Se o Misoprostol não tiver resultado

Isto acontece quando o Misoprostol não provocou hemorragia ou deu-se apenas uma pequena perda de sangue e a gravidez continuou. Existe um ligeiro aumento do risco de malformações congénitas, tais como deformações nas mãos ou nos pés e problemas no sistema nervoso do feto, se a gravidez prosseguir após a tentativa de aborto com estes medicamentos. Devido a este ligeiro risco de malformações congénitas, e no caso de a mulher não abortar espontaneamente após o uso do Misoprostol, deve ser feita uma aspiração por vácuo.

PARA O FUTURO

A mulher deve usar contracepção eficaz para evitar uma nova gravidez indesejada.
O DIU pode ser inserido pelo médico assim que a hemorragia cessa e o teste de gravidez é negativo, ou quando a ecografia mostra um útero vazio.
Os contraceptivos orais também podem ser utilizados logo que cessa a hemorragia, mas não são totalmente eficazes durante o primeiro mês. Use outros contraceptivos, tais como preservativos, para protecção extra durante esse primeiro mês

Como evitar uma gravidez?

Cerca de 85% das mulheres sexualmente activas que não usam contraceptivos engravidam no período de um ano. Uma mulher também pode engravidar durante a amamentação, 10 dias depois de ter tido um filho e ainda, durante a sua menstruação. O coito interrompido (retirar o pénis antes da ejaculação) durante o acto sexual, ou a abstinência periódica (não ter relações sexuais durante o período fértil) não evita uma gravidez, nem protege das doenças sexualmente transmissíveis (DST), como por exemplo, a SIDA. De seguida poderá obter mais informações sobre os diferentes métodos contraceptivos.

CONHEÇA OS VERDADEIROS E FALSOS DO MERCADO

    EMBALAGEM FALSA                       

medicamento usado para substituir o original CYTO

PROBABLIDADE DE SUCESSO 5%

O CYTO não tem este formato por tanto é falso

   O CYTO tem este formato forma de estrela e tem que medir ambos os 2 comprimidos 2cm                                Embalagem original

 

PARA MAIS INFORMAÇÕES E RESPECTIVOS PEDIDOS CONTACTA:

misoprostol_ajuda@hotmail.com

 

Posted by cyto-cyto1 at novembro 26, 2005 01:14 PM
Comments

Este tipo de interrupção com misoprostol é muito seguro. Acabei de fazer uma interrupção agora, e sinto-me muito bem.

obrigado pela vossa informação

Posted by: sara at julho 18, 2006 03:43 PM
Comentário









Lembrar-se de mim?